Cursos

Curso de
Licenciatura em Música Habilitação em Educação Musical
Rosângela Fernandes Coordenador(a)
Profª. Rosângela Fernandes
xx

Sobre o Curso

OBJETIVOS DO CURSO

Formar profissionais na área de docência em música, direcionando tal
profissional para a atuação nas escolas de educação básica (educação
infantil, ensino fundamental e ensino médio), escolas específicas de
música e demais espaços que envolvam a educação musical.
 
Desenvolver práticas acadêmicas que assegurem experiências para uma
aprendizagem reflexiva, por meio das quais os alunos tenham
oportunidade de intervir efetivamente em situações reais.

Articular o ensino, a pesquisa e a extensão com vistas à formação de
profissionais capazes de atuarem com competência em espaços escolares
e não escolares em que couberem o ensino e projetos de educação
musical.
 
Propiciar condições para que a prática profissional exercida nos
trabalhos de estágio e extensão se constitua numa oportunidade de
reflexão e questionamento e construção de novos conhecimentos.


PERFIL PROFISSIONAL

O licenciado em Educação musical deverá estar habilitado para atuar na
docência, nas instituições do ensino fundamental e médio, e ainda, em escolas
especificas do ensino da música, levando em consideração a formação
humanística e a construção do conhecimento como prática simbólica, além de
poder atuar junto à entidades públicas e sociais, por meio de projetos
interdisciplinares, ampliando o sentido de educação. Deverá ser capaz de
propor soluções criativas e inovadoras referentes ao processo de ensino e
aprendizagem, utilizando-se dos novos paradigmas da educação que permitam
pensar o aluno a partir de suas características físicas, emocionais, psicológicas e
sociais. Deverá, ainda, ter domínio dos conhecimentos relativos à música:
fundamentos, princípios, disseminação da cultura musical através dos tempos,
música e expressão, gêneros e formas musicais, e, o domínio suficiente da
prática de um instrumento musical, relacionando-o à prática pedagógica.


ÁREAS DE ATUAÇÃO

O educador musical poderá atuar em escolas do Ensino Fundamental e Médio,
em escolas especializadas no ensino da música, na área de musicalização de
crianças, adolescentes, jovens e adultos, introduzindo-os no universo da
música, em organizações governamentais e não governamentais, realizando
projetos sócio-artísticos e sócio-culturais, em instituições para crianças com
necessidades especiais, e, em instituições que mantém programas de inclusão
social.

TEMPO DE DURAÇÃO

A integralização do curso se dá em 08 (oito) períodos, no prazo mínimo de 04
(quatro) anos e máximo de 06 (seis) anos.


HABILIDADES E COMPETÊNCIAS

A partir do perfil visado para o egresso do Curso de Licenciatura em Música, a
FAMES pretende que cada um dos profissionais formados apresente
habilidades e competências de natureza político-social, ético-moral, técnicoprofissional
e científica, cuja formação constitui a concepção nuclear do projeto
pedagógico do curso. Assim sendo, este Curso foi concebido, planejado e é
operacionalizado e avaliado, visando à aquisição e desenvolvimento de
competências e habilidades para:

dominar os conhecimentos conceituais, procedimentais e atitudinais
específicos da Música, orientados por valores sociais, morais, éticos e
estéticos próprios de uma sociedade plural e democrática;

pesquisar, conhecer, compreender, analisar, avaliar a realidade social
para nela intervir acadêmica e profissionalmente, por meio da música,
visando a formação, a ampliação e enriquecimento cultural da sociedade;

interpretar textos e resultados experimentais e formular novas questões
com base nesta interpretação;

expressar-se com clareza e assertividade, fundamentado nos
conhecimentos científicos;

criar e utilizar modelos, técnicas de simulação e trabalhar com projetos
que estimulem a investigação científica na música;

Intervir, acadêmica e profissionalmente, de forma deliberada, adequada
e, eticamente balizada, nos campos da formação cultural, da educação
musical, do lazer, além de outros campos que oportunizem ou venham a
oportunizar a prática na educação musical;

participar, assessorar, coordenar, liderar e gerenciar equipes
multidisciplinares de discussão, de definição e de operacionalização de
políticas públicas e institucionais nos campos música, da educação, da
cultura, dentre outros;

diagnosticar os interesses, as expectativas e as necessidades das pessoas
(crianças, jovens, adultos, portadoras de deficiência), a fim de planejar,
ensinar, orientar, assessorar, com vistas à melhoria das relações
interpessoais, das condições de vida, do autoconceito e da auto-estima;

supervisionar, controlar e avaliar projetos de educação musical;

conhecer, dominar, produzir, selecionar, e avaliar os efeitos da aplicação
de diferentes técnicas, instrumentos, procedimentos e metodologias para
a produção e a intervenção acadêmico-profissional em música nos
campos da formação cultural, da educação, da música, do lazer, da
gestão de projetos educacionais e musicais, além de outros campos que
oportunizem ou venham a oportunizar a participação em de atividades
musicais;

acompanhar as transformações acadêmico-científicas da Música e de
áreas afins mediante a análise crítica da literatura especializada com o
propósito de contínua atualização e produção acadêmico-profissional;

utilizar recursos da tecnologia da informação e da comunicação de forma
a ampliar e diversificar as formas de interagir com as fontes de produção
e de difusão de conhecimentos específicos da Educação Musical e de
áreas afins, com o propósito de contínua atualização e produção
acadêmico-profissional.

lidar com crianças, adolescentes, jovens e adultos de forma
incentivadora, a fim motivá-los a identificar, na Música, meios de
educar-se desenvolver-se e aprender melhor;

preparar suas aulas conceitual e metodologicamente correta e exeqüível,
prevendo o interesse, a participação, a interação e integração de todos os
alunos sem qualquer tipo de discriminação;

ministrar aulas, utilizando, adequadamente, os recursos disponíveis e
necessários à maior compreensão e motivação dos alunos;

atuar no campo da Música como agente transformador comunitário,
colaborando para o desenvolvimento social e da cidadania;

reconhecer as potencialidades e demandas da escola propondo
estratégias de atividades que visem a melhoria do clima e ambiente
institucional;

aplicar conceitos técnico-científicos e éticos para resolver os mais
diversos problemas relacionados à Música por meio da elaboração e
execução de projetos individuais ou em parceria com instituições
particulares ou públicas;

agir com ética e responsabilidade no exercício da profissão;

envolver-se em atividades e projetos desenvolvidos pela escola e pela
comunidade, respeitando a diversidade natural de cada ambiente
educacional (cultural, emocional, lingüística, religiosa, étnica,
alunos/pessoas com deficiência, língua, dentre outras que possam
surgir) e exercendo uma liderança democrática e participativa,
possibilitando a integração de alunos, pais, comunidade e professores;

integrar-se, perfeitamente, às atividades desenvolvidas por profissionais
da área de Música e áreas afins;

enfrentar os desafios decorrentes do avanço tecnológico, preparando-se
permanentemente para a aplicação de tecnologias modernas na música,
sem perder de vista a dimensão social e profissional.


ORGANIZAÇÃO DO CURSO

O ingresso se dá através de Processo Seletivo, realizado uma vez ao ano, com
divulgação feita através de Edital de Convocação, publicado no Diário Oficial,
e divulgado no site da FAMES. As inscrições são abertas sempre ao final de
cada ano letivo, o funcionamento do curso se dá nos turnos matutino e noturno,
e, sua metodologia contempla aulas em grupo, com turmas de até 25 alunos.


SELEÇÃO DOS CONTEÚDOS

A seleção dos conteúdos se dá com base nas Diretrizes Curriculares de
Formação de Professores (Resolução CNE/CP 1, de 18 de fevereiro de 2002, Art.
11), e dos tópicos de estudo determinados pelas Diretrizes do Curso de
Graduação em Música - Resolução nº 2, de 4 de março de 2004), o currículo
contempla os três núcleos: o primeiro, o tópico de estudos envolvendo os
conteúdos Básicos; o segundo, o tópico de estudos envolvendo os conteúdos
Específicos, que abrange os conhecimentos identificadores da Música; o
terceiro, o tópico de estudos envolvendo os conteúdos Teórico-Práticos:

I- conteúdos Básicos: estudos relacionados com a Cultura e as Artes,
envolvendo também as Ciências Humanas e Sociais, com ênfase em
Antropologia e Psicopedagogia;

II - conteúdos Específicos: estudos que particularizam e dão consistência à área
de Música, abrangendo os relacionados com o Conhecimento Instrumental,
Composicional, Estético e de Regência;

III - conteúdos Teórico-Práticos: estudos que permitam a integração
teoria/prática relacionada com o exercício da arte musical e do desempenho
profissional, incluindo também Estágio Curricular Supervisionado, Prática de
Ensino, Iniciação Científica e utilização de novas Tecnologias.


METODOLOGIA

O Curso de Licenciatura em Música tem uma metodologia dialética, crítica,
dinâmica e interativa, que tem como foco o exercício da autonomia, da reflexão,
da criatividade, da construção coletiva e da busca constante pela formação
permanente do ser humano na sua totalidade. Essa concepção perpassa todas as
atividades de ensino e de aprendizagem da instituição e se constitui na
possibilidade de tornar o projeto coerente com a realidade e atualidade em
busca da formação de profissionais professores de música competentes,
empreendedores, reflexivos, dinâmicos e conhecedores e pesquisadores em sua
área de atuação, dispostos a dialogar com seus alunos e contribuir para a sua
formação pessoal, cultural e social. De forma abrangente, o curso contempla
aulas em grupo, com turmas de até 25 alunos, atividades orientadas de
pesquisa( seminários, estudos de caso, projetos de ensino, relatórios, etc),
atividades programadas de extensão( apresentações, exposições, ações de
caráter cultural e comunitário, etc.), e, estágio supervisionado.


AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

O Curso propõe uma avaliação inclusiva, sistêmica, funcional, integral e
orientadora que permita aos discentes envolvidos, uma nova percepção desse
processo e utilizá-lo também como forma de mudar posturas mediante o
processo de aprendizagem. Assim, constituem critérios de avaliação da
aprendizagem utilizados pela Instituição:

Avaliação sistemática - prioriza, além da avaliação dos aspectos
cognitivos, a observação e os registros cuidadosos e sistemáticos que
possibilitem o estudo do processo evolutivo do sujeito da avaliação,
numa percepção sistêmica;

Avaliação global - não se limita aos aspectos cognitivos, mas inclui
atitudes, comportamento e habilidades;

Processo contínuo - por se tratar que a avaliação da aprendizagem está
inserida ao longo do processo e não situada em momentos específicos (ao
final de cada unidade ou do semestre);

Instrumentos e procedimentos variados - não deve restringir-se,
somente, aos tradicionais trabalhos e provas, para contemplar as
individualidades dos educandos;

Ênfase ao processo de construção - as tarefas incompletas ou com
deficiências devem ser reconstruídas e aperfeiçoadas até que o aluno se
aproxime o mais que puder dos objetivos propostos;

Aperfeiçoamento constante - as técnicas e os instrumentos utilizados
precisam estar sempre adequados à realidade.

Conhecimento prévio das condições - os alunos são orientados no início
de cada semestre, sobre os procedimentos de avaliação a serem adotados
em cada disciplina, sendo suas sugestões valorizadas e incorporadas ao
planejamento avaliativo proposto pelo professor, se essas forem
pertinentes;

Interdisciplinaridade e integração multidisciplinar - adotadas por meio
de adoção de estratégias de avaliação que possibilitem o envolvimento
de conjuntos de disciplinas;

Acompanhamento constante dos resultados - por meio de reuniões do
colegiado de turma e encontros de orientação com os alunos que
apresentem defasagens ou dificuldades específicas nas suas
aprendizagens;

Auto-avaliação - entendida como essencial no processo de avaliação da
aprendizagem, uma vez que permite ao educando seu autoconhecimento
e o exercício da cidadania e da ética;

Focalização - a avaliação de conhecimentos priorizará conteúdos
relevantes, cujo domínio é indispensável para o exercício da profissão;

Desenvolvimento de processos superiores - a avaliação enfatiza
aspectos como capacidade de organização do pensamento, de
identificação de idéias básicas, de análise crítica e não a simples
reprodução de conteúdos;

Utilização criteriosa dos desempenhos - apresentados pelos alunos nos
trabalhos em grupo, visto que em muitas circunstâncias os alunos terão a
oportunidade de trabalhar em grupos - que representa uma
oportunidade para o exercício do trabalho em equipe e multiprofissional.
Entretanto, o trabalho em grupo necessita ser criteriosamente utilizado e
adequadamente orientado a fim de que não se desvirtuem suas
finalidades.


Arquivos

Arquivo Visualizar
Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura - 2013 Visualizar Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura - 2013
Licenciatura - Estrutura Curricular Visualizar Licenciatura - Estrutura Curricular
Licenciatura - Ementário Visualizar Licenciatura - Ementário