Cursos

Curso de
Bacharelado em Música - Habilitação em Instrumento/Canto
Regina Nava Martins Coordenador(a)
Profª. Regina Nava Martins
xxx

Sobre o Curso

HABILITAÇÕES OFERECIDAS:

Canto, Clarinete, Contrabaixo, Fagote, Flauta Transversa, Oboé, Percussão, Piano, Saxofone, Trombone, Trompa, Trompete, Tuba, Viola, Violão, Violino, Violoncelo.

OBJETIVOS DO CURSO

  • Proporcionar formação acadêmica, através de atividades integradas entre ensino, pesquisa e extensão;
  • Formar músicos instrumentistas ou cantores, com habilidades técnico/musicais, para atuação no mercado de trabalho, nas dimensões artísticas, culturais, sociais, científicas e tecnológicas, inerentes à área da música;
  • Proporcionar ensino de qualidade, com um currículo que contemple as áreas musicais como um todo, com equilíbrio e articulação entre as disciplinas teóricas e práticas;
  • Formar músicos comprometidos com a construção de valores para a sociedade, contemplando aspectos humanísticos, sociais e éticos, para o pleno exercício de sua cidadania.

PERFIL PROFISSIONAL

Ao término do curso, o aluno deverá estar apto a atuar como um agente musical na sociedade , consolidando o conhecimento musical e promovendo a difusão da música e da cultura, executando repertórios de diferentes períodos, estilos e culturas. Sua base musical deverá ser sólida, bem como a sua habilidade instrumental/vocal, sustentada por uma musicalidade desenvolvida e percepção bem treinada, bem como uma excelente performance.

ÁREAS DE ATUAÇÃO

A área de atuação do Bacharel em Música - Habilitação em Instrumento é bem ampla, compreendendo atuação profissional como solista, camerista,acompanhador, membro de orquestra ou banda sinfônica, atuando também em estúdios, gravadoras, teatros, centros culturais, produtoras e eventos em geral. A área de atuação do Bacharel em Música - Habilitação em Canto também é ampla, podendo o cantor atuar como solista, camerista, membro de corais ou madrigais e ainda como preparador vocal.

TEMPO DE DURAÇÃO

A integralização do curso se dá em 08 (oito) períodos, no prazo mínimo de 04 (quatro) anos e máximo de 06 (seis) anos.

HABILIDADES E COMPETÊNCIAS

  • Aplicar os componentes da linguagem musical no desempenho instrumental/vocal;
  • Articular e integrar estudos e pesquisas na prática e interpretação artística;
  • Investigar novas linguagens, métodos e recursos que contribuam para o enriquecimento da expressão musical;
  • Desenvolver postura investigatória, capaz de interagir com as redes de informações, mudanças sociais, contextos culturais, experiências cotidianas, na busca de uma prática musical consciente, que possa refletir vida e autenticidade, construindo, assim, canal de comunicação autêntico e expressivo com a sociedade, visando transformações.

ORGANIZAÇÃO DO CURSO

O ingresso se dá através de Processo Seletivo, realizado uma vez ao ano, com divulgação feita através de Edital de Convocação, publicado no Diário Oficial, e divulgado no site da FAMES. As inscrições são abertas sempre ao final de cada ano letivo, o funcionamento do curso se dá nos turnos matutino e vespertino, e, sua metodologia engloba aulas individuais e em grupo, com turmas de até 15 alunos. Estão incluídas nas aulas em grupo, as aulas teóricas e as práticas de laboratório de performance: conjuntos, orquestras, corais, etc.

SELEÇÃO DOS CONTEÚDOS

A seleção dos conteúdos se dá com base nas Diretrizes Curriculares para os cursos de música propostos pelo MEC, que estabelece que a estrutura curricular deverá ser construída abrangendo áreas diversas do conhecimento. São contemplados conteúdos básicos nas áreas sócio-culturais da arte, conteúdos específicos da área de música que dão consistência à formação musical, devidamente adaptados às necessidades e aos interesses institucionais e regionais, e, conteúdos teórico-práticos relacionados aos conhecimentos científicos e tecnológicos.

METODOLOGIA

Os princípios metodológicos estão baseados na investigação, teoria e prática, interdisciplinaridade, capacidade crítica, autonomia, historicidade, construção e diversidade, todos eles interagindo de forma integrada, articulada e contínua. Estes princípios estão expressos no Projeto Pedagógico de cada curso, refletidos nos Planos de Ensino das disciplinas contempladas nas estruturas curriculares. De forma abrangente, as estratégias pedagógicas combinam aulas de atendimento individual, expositivas e participativas, e coletivas, com turmas de até 15 alunos, teóricas e práticas, estas últimas citadas incluem os laboratórios de auxílio ao desenvolvimento da performance: conjuntos, orquestras, corais, etc. Atividades extra curriculares como: recitais,concertos, cursos de extensão, master-classes, simpósios, seminários e festivais, também são contempladas na metodologia do Curso de Bacharelado.

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

A FAMES norteia a sua sistemática de avaliação nos eixos:

  • Avaliação contínua e cumulativa - possibilitando o diagnóstico sistemático do processo, contemplando atividades individuais e em grupo;
  • Planejamento claro e objetivo - realizado criteriosamente, de modo que os objetivos sejam propostos de forma clara e compreensiva, para alunos e professores. O processo de avaliação depende de um planejamento bem feito;
  • Reorientação da aprendizagem - que os resultados do rendimento do educando sejam devolvidos a ele, garantindo-lhe o direito de reorientar a sua aprendizagem;
  • Avaliação global - O professor leva em consideração as várias áreas de capacidades do educando: cognitiva, motora, de relações interpessoais, etc.

As formas de avaliação que a FAMES utiliza:

  • Avaliação formativa:Avaliação contínua durante as aulas, ajustando e adequando as técnicas de ensino às necessidades dos estudantes.
  • Avaliação somativa:Avaliação que se realiza ao final de um certo período de ensino, de forma mensurada, para satisfazer exigências do sistema educacional, que solicita registros do desempenho do educando, que ocorrem em períodos bimestrais ou semestrais.

Como instrumentos de avaliação, são utilizados:

Nas disciplinas teórico-científicas:

  • Relatórios: Sintetizam informações e experiências;
  • Seminários e palestras: Sintetizam idéias expostas pelos alunos;
  • Painéis: Mobilizam informações em diferentes níveis de conhecimento, com objetivo de formar argumentação consistente e elaborar propostas;
  • Trabalhos em grupo: Proporcionam troca de experiências, conhecimentos e fortalecem as relações interpessoais;
  • Redações e monografias: Demonstram a capacidade de interpretar informações e expressar pensamentos e idéias;
  • Provas e testes, orais e escritos: Oferecem dados sobre o desempenho do estudante. Podem servir para quantificar e classificar o mesmo. Apesar de terem caráter classificatório, devem ser utilizados sob a ótica do diagnóstico, servindo para reorientar o educador na busca de melhores resultados.

Nas disciplinas práticas e laboratórios:

  • Aulas individuais: Permitem ao professor diagnosticar avanços e dificuldades encontrados durante o processo educativo, possibilitando-o discutir, com o educando, as suas deficiências, sugerindo meios e caminhos para supri-las;
  • Provas perante Bancas Examinadoras: Exames obrigatórios, de caráter somativo, com bancas de três ou mais professores;
  • Recitais e concertos Permitem mostrar domínio de linguagens, habilidades no uso de técnicas musicais, viabilizando a prática e a execução musicais;
  • Master Classes: Favorecem a prática da performance, o desenvolvimento do pensamento crítico-reflexivo e a troca de experiências entre estudantes e professores;
  • Laboratórios semanais: Assim como no Instrumento acima, também favorece a prática da performance, o desenvolvimento e domínio das linguagens musicais, e, ainda, a prática de execução em grupo.
  • Critérios de avaliação:

    Na avaliação da aprendizagem das disciplinas teórico-científicas, os Critérios de avaliação deverão ser estabelecidos conforme os instrumentos para coleta de dados escolhidos pelo educador, variando segundo a natureza destes e suas peculiaridades, devendo ser apresentados e discutidos com os educandos.

    A FAMES se utiliza de quatro critérios de referência para a sistemática de avaliação, nas disciplinas práticas e laboratórios:

    • Sonoridade: capacidade do aluno de expressar-se em diferentes sonoridades, de explorar diferentes níveis de intensidade sonora, e a capacidade de explorar timbres e texturas próprias do instrumento;
    • Expressividade: capacidade de comunicar o caráter expressivo da música, de expressar-se em diferentes estilos e épocas e de produzir efeitos expressivos relativos a: timbre,altura, duração, andamento, intensidade, textura e silêncio;
    • Compreensão musical: capacidade de perceber formas musicais, e demonstrar consciência dos aparatos idiomáticos de época e dos processos estilísticos;
    • Performance: envolvimento com a obra, desenvoltura e postura artística, equilíbrio dos domínios cognitivo, afetivo e psicomotor.


Arquivos

Arquivo Visualizar
Bacharelado - Ementário Visualizar Bacharelado - Ementário
PROGRAMA DO NÚCLEO DE CANTO Visualizar PROGRAMA DO NÚCLEO DE CANTO
PROGRAMA DO NÚCLEO DE PIANO Visualizar PROGRAMA DO NÚCLEO DE PIANO
PROGRAMAS DO NÚCLEO DE CORDAS Visualizar PROGRAMAS DO NÚCLEO DE CORDAS
PROGRAMAS DO NÚCLEO DE SOPROS E PERCUSSÃO Visualizar PROGRAMAS DO NÚCLEO DE SOPROS E PERCUSSÃO
PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Visualizar PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO
BACHARELADO-ESTRUTURA CURRICULAR Visualizar BACHARELADO-ESTRUTURA CURRICULAR